Por Jair Pasquini

Notícia boa no final do ano para impulsionar o próximo sempre é bem-vinda. Acredito que os números ilustram boas novas para o setor do turismo. Particularmente, vejo o Brasil como um território favorecido e acredito que concordem comigo. Clima, cultura e atrativos diversos fazem parte do pacote que nos favorece. Mas contar com isso somente não nos impulsiona no mundo dos negócios.
Planejamento e antecipação à demanda e às tendências são fundamentais para avaliarmos os caminhos a seguir. Mas, primeiro, vamos falar com quem gosta de ver para crer. A última pesquisa trimestral do Ministério do Turismo, referente ao 3º trimestre do ano, aponta crescimento de 4,3% no faturamento médio das empresas do setor, em comparação ao mesmo período de 2016. Do total, 66% ainda revelam a intenção de realizar novos investimentos em 2017.

Quando falamos das empresas que revelam a intenção de investir parte do faturamento apurado, 15,2% delas são de receptivos, seguidos por organização de eventos (8,1%), meios de hospedagem (5,2%) e transporte aéreo (4,7%).

Já nas viagens corporativas, segundo a Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp), no terceiro trimestre deste ano a movimentação foi de R$ 3,01 bilhões em vendas de passagens aéreas, diárias de hotéis, locação de veículos e eventos.

Acredito que em 2018 teremos mais fôlego para trabalhar o turismo no Brasil. Quem conhece nossa linha de trabalho, com as ações do Meeting Brasil, sabe que fomentamos a divulgação do turismo brasileiro aos países sul-americanos. Para o próximo ano, a ideia é ampliar, ainda mais, essa exposição.

Segundo o Ministério do Turismo, o Brasil tem incrementado a entrada de turistas vizinhos nos últimos anos. De acordo com Anuário Estatístico do Turismo 2017, a entrada de sul-americanos aumentou 9,1% entre 2015 e 2016. Com este cenário positivo, o Meeting Brasil, mais uma vez, pode oferecer uma oportunidade para o empresário brasileiro apresentar seus principais produtos e serviços, destacando os atrativos de cada região

Queremos reforçar a exposição corroborativa, relacionamento com novos mercados, oportunidades de novos negócios e um horizonte imenso para desbravar ainda em terras sul-americanas. Há mercados que poderão ser contemplados numa próxima edição, mas nós também estamos de olho em novas possibilidades no velho continente. Vamos investir mais e acreditar que podemos contribuir para o setor no Brasil. Que venham bons negócios e boas notícias!